30
jun

A (R)evolução do varejo online

A evolução do e-commerce é uma realidade, é o que nos mostra o gráfico com os números do setor. Alguns mitos que eram barreiras para a efetivação do processo de compra foram desmistificados, como a questão da segurança em relação a duas variáveis: o pagamento e a entrega conforme a promessa do fornecedor.

 

Além do B2C (business to consumer), modalidade precursora de comércio eletrônico, tem-se novas modalidades de negócio, como o C2C (consumidor para consumidor), cujo maior expoente é o Mercado Livre, inspirado no e-bay (site americano).

 

Essa tendência de comercialização cresce em percentuais relevantes por motivos diversos: pelo comportamento do consumidor, pela diversificação da oferta de produtos, pela comodidade e pela segurança da integridade física – não corro o risco de ser assaltado ao sair para efetuar uma compra. Para finalizar, vem a questão da revolução. Deve-se refletir sobre o impacto do e-commerce no varejo presencial, pois a “ditadura do varejo” está com os dias contatos.

 

A dependência dos fornecedores em relação ao varejo como meio para chegar aos consumidores finais irá diminuir gradualmente, pois eles poderão ofertar os seus produtos através do e-commerce de forma atrativa em questões de preço, design, etc., como já vem fazendo a Brastemp com a venda direta em seu site. O varejo deverá oferecer experiência de compra aos seus consumidores através de um ambiente atrativo, vendedores treinados e entretenimento. Nesse caso, a compra deve ser um evento e não somente uma troca.

 

 

faturamento-ecommerce

por: Marketing Viewer
Tags:
Categoria: Consumidor, Mercado, Pesquisa, Web

Comente






Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

51 9246.0751 | vm@veramuller.com.br
© MARKETING VIEWER 2017