Vídeo institucional

Artigos com a Tag: estratégia

21
jun

#Valor distinto!

O significado no dicionário para a palavra distinto : Que não se confunde com outro. Diferente.  Que não faz parte do outro. Destacado. Algumas perguntas frequentes  na consultoria  de marketing   : 1)Qual o valor distinto da marca  XY? 2)Como os clientes  da marca XY percebem este valor distinto? 3) Os clientes estão dispostos a pagar por este valor distinto? Identificar o valor distinto é um processo essencial para o desenvolvimento  da vantagem competitiva da marca. Este estudo inicia-se na origem da marca e suas competências. Investiga-se a história da marca em  sua raiz. O valor distinto é decodificado como posicionamento da marca, transformando-se
por: Marketing Viewer
06
maio

Desafio de branding: Posicionar a marcar na mente do consumidor. Ser único em um universo de diversidade!

O que é ser único em um universo de diversidade? Foco talvez seja a palavra do momento para responder esta pergunta, em um universo mercadológico com intensa oferta , ter clareza  sobre o posicionamento da marca e das intenções estratégicas da empresa. Corroborando com os conceitos de 1-branding e 2-marketing no seu  melhor significado: 1-O principal objetivo de um programa de branding nunca é o mercado para o produto ou serviço. O principal objetivo de um programa de branding é sempre a mente dos consumidores. A mente vê primeiro. O mercado segue a mente. (Al Ries) 2-Marketing é fazer com que os esforços de
por: Marketing Viewer
05
maio

Branding :2+2=5 / Branding sensorial.

Ir além da expectativa do consumidor, surpreender e estimular os seus sentidos, pode ser uma alternativa para oferecer uma vantagem distinta através dos vínculos emocionais da marca. A equação 2+2 =4 é o básico. Pensar em transformar este resultado através do branding sensorial, usando o poder em ativar a mente das pessoas com componentes de marca que podem criar uma conexão mágica, magnética, distinta e duradora, trabalhando os cinco sentidos do ser humano (olfato, audição, tato, visão e paladar). Conforme Martin Lindstrom, incorporar nossos cinco sentidos tem funcionado espetacularmente bem ao conectar emocionalmente as pessoas aos rituais da fé. Pense nisso: a
por: Marketing Viewer
04
maio

Estratégias de Marketing # Descomplique

# Descomplique Você já parou para pensar o que realmente o cliente espera de sua marca? Muitas vezes na ansiedade em oferecer novos serviços e produtos, esquecemos do core business, ou seja , o  núcleo do negócio . Oferecer com excelência a essência da marca, pode ser uma inovação, ser o melhor em sua oferta. Além de oferecer de forma simples os produtos e serviços, comunicar de formar clara e objetiva, sem muito invencionismo, o que pode tornar a mensagem confusa.  Falta da simplicidade em  oferecer o que realmente  o consumidor quer comprar. São tantas abordagens em um processo de compra que se
por: Marketing Viewer
03
maio

(Re) pense o marketing. Sobre a perspectiva do ser humano!

A economia e a sustentabilidade do planeta precisam estar conectadas, desafiando os modelos de negócio para a responsabilidade corporativa, como processo e cultura estratégica das empresas .Este desafio exige que se repense o marketing. Parece um desafio utópico mas necessário, tanto para o planeta como para as empresas. A representatividade do faturamento de algumas empresas são maiores do que o PIB (Produto Interno Bruto)de alguns países. Então percebe-se a importância da responsabilidade destas empresas com o planeta. Como a Apple, que conforme as Nações Unidas, tem PIB maior que 104 países. Os consumidores são os responsáveis pela geração de recursos financeiros para
por: Marketing Viewer
02
maio

Norteadores estratégicos para não serem apenas quadros de decoração na parede da empresa!

  Quais são as inspirações da  marca que fazem os colaboradores, fornecedores, parceiros e consumidores transpirarem por “ela”?  Estas inspirações estão nos norteadores estratégicos, que devem ser verdadeiros, sustentáveis e inovadores , orientando e criando a cultura corporativa, resultando em uma importante vantagem competitiva, pois vai muito além do quadro de decoração na parede da empresa. Para a prática do marketing 3.0, os norteadores estratégicos devem ser uma filosofia empresarial, inseridos e vivenciados por todos os colaboradores, parceiros e fornecedores, transitando em todas as áreas da empresa, como um fio condutor. Focada na inovação aberta, abrindo espaço para que todos possam contribuir com o 
por: Marketing Viewer
01
mar

Branding & Marketing: Por que as empresas devem mudar?

A resposta parece simples e óbvia: Porque o consumidor muda, ele é o catalisador da transformação. A mudança pode ocorrer em um mercado composto pela diversidade de gerações, com comportamentos distintos. Cada geração sinaliza a importância da segmentação, para que possamos entender e atender o público-alvo almejado pela empresa. Como os Millennials (geração dos nascidos entre 1982 e 2000), com uma representatividade  de 2 bilhões de pessoas no mundo, no Brasil já representam 31% da população. Percebe-se os Millennials desafiando os negócios tradicionais, impactando em rupturas dos modelos tradicionais de negócios, que algumas empresas e gerações cartesianas não compreendem. Mas que irão
por: Marketing Viewer
21
fev

A filosofia do sistema colaborativo.

Há uma transformação de conceitos com reflexos comportamentais, o que faz parte da evolução humana, característica intrínseca dos humanos e do meio-ambiente em que estamos inseridos. A mudança, a transformação, desafia a gestão das empresas e a própria vida. Como a  filosofia do sistema colaborativo, uma tendência presente na pauta de empresas, cidades, universidades, entre outras organizações que tem interesse em acompanhar  as mudanças de uma sociedade. Dentre esta filosofia, criam-se alguns conceitos como: consumo colaborativo, economia colaborativa, conhecimento colaborativo…. O consumo colaborativo oferece uma nova economia com atitudes sustentáveis, com práticas de consumo de bens e serviços, sem que haja a necessidade
por: Marketing Viewer
30
jun

A concorrência é entre as marcas.

A discussão parte do ponto: A concorrência é entre os produtos e ou entre as marcas? A segunda opção é mais coerente para um mercado competitivo sem limitações geográficas. Claro que uma marca sem produtos inovadores e de qualidade não se mantém no mercado. Mas as marcas são “a representação do conceito da empresa”, sua identidade. Nesta dimensão o intangível tem relevância, e os pontos de contato da marca devem ser estrategicamente desenvolvidos e implementados. O consumidor deve perceber claramente a proposta da marca, pela comunicação, atendimento, serviços e produtos. Deve haver um fio condutor com a mesma linguagem. Um desafio para o
por: Marketing Viewer
02
mar

Não é só de crise que se vive, tem estratégias fora da caixa

O atual e recorrente tema de pauta em rodas de amigos, reuniões familiares e reuniões de empresas é a crise econômica e política. Tenho plena consciência de como as variáveis incontroláveis do macro ambiente afetam os negócios. Mas não posso concordar que a crise política e econômica seja uma desculpa para  não encontrarmos alternativas, buscarmos soluções ou encobrir a incompetência de profissionais e empresas. Não podemos nos deixar contagiar por esta “depressão coletiva”, com fatores negativos, mas devemos analisar o cenário de forma realista e agirmos de forma competente. Com certeza iremos trabalhar mais e estudar melhor estratégias e serão essas atitudes que
por: Marketing Viewer

Categoria: Business, Consumidor

51 9246.0751 | vm@veramuller.com.br
© MARKETING VIEWER 2017